A hora da Estrela (Acabei de ler!)

Share

Eu acabei de ler e escutar o (audio) livro “A hora da estrela” de Clarice Lispector. Eu li o livro junto com o Círculo do Livro aqui na cidade de Nova Iorque. A Denise, líder do grupo, preparou umas perguntas muito boas para a nossa conversa. Ela também citou umas frases lindas da autora.

HORA DA ESTRELA
HORA DA ESTRELA
A Hora da Estrela
A Hora da Estrela

“A hora da estrela” começa muito lentamente, pois o narrador (que é um personagem criado por Clarice Lispector) demora muito para começar a história. Ele fala muito sobre ele mesmo, sobre o amor que ele tem para a personagem principal, Macabéia, e sobre o processo de escrever. O narrador é muito interessante e complicado, pois ele diz que ama Macabéia mas também é muito cruel nas suas descrições dela. O livro é escrito no estilo fluxo de consciência, em que o escritor escreve da maneira que ele pensa. Este estilo pode ser difícil para o leitor, porque o autor está sempre mudando de um assunto para outro, do passado para o futuro, ou de um personagem para outro sem explicar. Com o fluxo de consciência e as frases complicadas de Lispector, o livro se torna muito difícil.

Quando o narrador finalmente chega à história, a história não é muito complicada, mas o que é muito interessante é o jeito psicológico em que Lispector escreveu, sempre analazindo a psicologia dos personagens. Eu acho que é um pouco parecido com o estilo de Machado de Assis, que também sempre analizou a psicologia das pessoas nos seus contos e romances.

Fico feliz que finalmente li este livro clássico da literatura brasileira, pois MUITOS professores ensinam “A hora da estrela” nas universidades com as quais Atlântico trabalha. Também adorei a conversa com o Círculo do Livro, e recomendo “A hora da estrela” para todos!

Share

8 Responses

  1. Elena,
    Eu simplesmente adoro a literatura da Clarice. Li “A hora da estrela” há algum tempo, e me encantei principalmente com a simplicidade da protagonista, e claro, com a fluidez do texto da Clarice. Estou agora lendo um livro maravilhoso que ganhei de uma amiga. Chama-se “Minhas queridas” e é um livro todo de cartas que a Clarice escreveu para as irmãs durante os anos em que viveu fora do Brasil, acompanhando o marido que era diplomata. É simplesmente emocionante acompanhar a vida cotidiana da escritora, como se estivéssemos lendo seu diário ou simplesmente ali perto dela, na hora em que ela está escrevendo as cartas. É intimista demais e uma das melhores maneiras de conhecer Clarice mais de perto, e por ela mesma. É imperdível.
    Um beijo!

  2. Obrigada pela sugestão, Jô! Muitos alunos de português leêm “Maça no Escuro” e “Laços de Família,” também da Clarice Lispector. Eu não sabia que existia este livro que você menciona, “Minhas Queridas” e parece muito interessante mesmo, conhecer a Clarice assim, através das letras que ela escreveu para as irmãs.

    Coloquei agora o livro “Minhas Queridas” no site para quem quiser ler! Aqui está o link:

  3. [...] where opportunities to hear and speak Portuguese abound: there are Meetups in Portuguese (like the Portuguese-language book club I attend), Brazilian Movie-Nights, Bate-Papos, Lectures at CUNY Grad Center, Columbia, and the [...]

  4. [...] os conflites da juventude com a Ditadura Militar no Brasil. O estilo é fluxo de consciência, como A Hora da Estrela, de Clarice Lispector. “As Meninas” foi adaptado para o cinema em [...]

  5. [...] figurative and literal pulpits in Lispector’s A Maça No Escuro, A Paixão Segundo G.H. and A hora da Estrela.  In “Maça,” the character Martin speaks from a literal hilltop, looking down at the [...]

  6. frases bonitas

    Hi! I could have sworn I’ve been to your blog before but after going through a few of the posts I realized it’s new to me. Nonetheless, I’m certainly delighted I came across it and I’ll be book-marking it and checking back frequently!

  7. [...] li “A Paixão Segundo G.H.” e “A Hora da Estrela” com o Círculo do Livro de Nova Iorque. A Paixão Segundo G.H.” utiliza o estilo de [...]

Leave a Reply